Buscar

4 coisas que ninguém te conta sobre Bali | Vale a pena?


Foto: onceatraveler.com

Não, esse não é um daqueles posts sarcásticos. Confira nesse post 4 coisas que ninguém fala sobre Bali e o que você precisa saber antes de ir!


As pessoas tentam te passar a perna constantemente


Não que como Brasileira eu não esteja esperando isso sempre, mas Bali foi o cúmulo do absurdo. Chegou ao ponto de um rapaz querer me vender uma canga por R$200,00. Foi eu virar as costas que o preço baixou pra R$100,00. Conforme eu fui andando chegou a R$20,00. Qualquer lugar que você vá, nada tem preço fixo, as pessoas simplesmente olham pra sua cara e chutam o quanto você vai pagar. Pesquise, pechinche e não tenha medo de dizer não, os locais estão bem acostumados com isso.


O trânsito é infernal


Eu achei que sendo de São Paulo já tinha visto o pior, até ter ido pra Bangkok. Depois vi que nada, absolutamente nada, se compara ao trânsito e aos motoristas de Bali. A ilha quase não tem rodovias e as ruas são extremamente estreitas. Dirigir na contramão enquanto um caminhão vem na sua direção é comum e nada assustador (pra eles). Muita gente aluga scooter ou moto para facilitar mas, como os motoristas não respeitam as leis do bom senso, acho que é arriscar demais.



Transporte público não existe e o único meio de transporte para os turistas são os táxis e os motoristas particulares e isso por si só já deixa qualquer um estressado. Se escolher ir de táxi, sempre procure os carros azuis com o nome Blue Bird, são os que usam o taxímetro. A empresa Grab adquiriu o Uber no Sudeste Asiático, mas em Bali a operação é (teoricamente) proibida. Nós usamos algumas vezes e não tivemos problemas e o valor é realmente MUITO mais barato do que o motorista particular vai te cobrar. Se você não estiver tão confiante em usar o Grab, vale a pena baixar o app mesmo assim só para ter uma noção de valores e pechinchar com os motoristas.


Considere isso quando for fazer seu planejamento por que chegar em qualquer lugar em Bali nunca é fácil. Se quiser ir ver o pôr do sol em algum lugar específico, por exemplo, planeje sua tarde pela região para evitar a dor de cabeça do deslocamento.


Tudo é LOTADO


A não ser que você chegue extremamente cedo ou seja super enérgico (mal educado) e peça licença, você não vai conseguir uma foto ou aproveitar qualquer lugar sem milhares de turistas junto. Isso vale não só os pontos turísticos, mas restaurantes, cafés, etc. Nós fomos na baixa temporadas e não consigo imaginar como deve ser na alta.



As praias não são tããão bonitas assim (dependendo de quando você for)


As praias são legais, mas não as mais bonitas que já vi. Eu me fiquei meio desapontada, acho que temos praias mais bonitas aqui no Brasil. Depois de pesquisar, descobri que durante a época de monções (outubro a abril), quando a chuva é muito pesada, o lixo e a poluição da área de Denpasar são carregados e caem diretamente no oceano, fazendo com que as as praias fiquem com aspecto horrível. Nós estávamos lá em maio, o que significa que as praias ainda estavam se recuperando. Se sentir cheiro de queimado em algum momento, não se assuste: em alguns lugares a coleta de lixo não existe, o que faz com que os locais queimem o lixo (sacos plásticos e tudo).


Se você está procurando praias paradisíacas, fique em Uluwatu ou Padang Bai e evite Kuta ou Seminyak. Ou escape da ilha principal indo para Nusa Penida, Nusa Lembongan ou Gili Islands.


Foto: SONNY TUMBELAKA / AFP

Em retrospecto, eu gostei de Bali? Sim, MAS talvez a minha expectativa estivesse alta demais. Se eu tivesse ficado por mais tempo, teria focado minha passagem por outros lugares que não Ubud e Seminyak. Não dá pra negar que existem partes da ilha extremamente afetadas pelo turismo, mas é possível encontrar praias escondidas e tranquilas, assim como comunidades tradicionais, basta pesquisar antes da viagem.




  • Preto Ícone Instagram

Todos os direitos reservados | © 2019 Aquele Blog de Viagens